Cinema

Raging Bull

You didn’t get me down, Ray.

1980 - Raging BullDizem que este filme é muito bom. Talvez seja mesmo e eu é que não tenho bom gosto. É daqueles que tem status de cult.

Começou bem, com uma das músicas mais lindas que existem: o interlúdio da Cavalleria Rusticana.

Depois, as cenas de boxe são meio forçadas, principalmente para quem, como eu, acha que esse pessoal do boxe deveria ser preso por brigar em público e fazer apologia à violência. Boxe pra mim, não é mais do que briga com platéia e hora e lugar marcados.

Pelo que falam do filme, achei que fosse um drama emocionante. Mas o sujeito, o tal La Motta, é tão babaca! Tão estúpido! Que, sabendo que a história foi contada por ele mesmo, não há como se criar a menor empatia.

Me pareceu estar assistindo um episódio de Cidade Alerta ou Polícia 24 Horas. Foram duas horas procurando um sentido naquilo.

So, for the second time, the Pharisees summoned the man who had been blind and said: “Speak the truth before God. We know this fellow is a sinner.” “Whether or not he is a sinner, I do not know,” The man replied. “All I know is this: Once I was blind and now I can see.”
   — John IX, 24-26, the New English Bible

Raging Bull (1980) – trailer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s