Cinema

The Theory of Everything

Este é um filme do qual eu não esperava muito. Dos indicados ao Oscar deste ano, era o que eu menos tinha curiosidade de assistir. Achei que fosse só uma biografia chata, aqueles filmes de rasgação de cera sobre alguém que supera uma dificuldade.

Me surpreendeu muito! A começar por esse menino Eddie Redmayne que eu não me lembro de ter visto antes, mas me impressionou demais. Talvez ele tenha ganho o Oscar mais merecido que eu já vi. Também essa menina Felicity Jones, boa demais!

Alem disso, o roteiro consegui sair do lugar comum da pieguice e do tradicional nesse tipo de filme e mostrou uma vida real de alguém real, claro que não de alguém comum. Escolheram as situações certas. Não é p clássico filme de superação. É um filme sobre uma história de amor que se desenrola com sérios problemas e sobrevive por anos. Em muito, sobrevive pela insistência dela.

É outro filme que me fez chorar. A cena da festa! A do quadro de soletrar. A garota e o padre confusos. E as atuações são extremamente convincentes. Dá pra ver esses sentimentos em cada um. É engraçado que eu não tenha anotado nenhuma frase dita pelas personagens. Agora, anotando aqui, percebo que foi porque não foram as falas nem os diálogos o que me impressionou. Foram os rostos, principalmente os olhos, e as mãos. Dava para contar toda a história desse filme só pelas imagens dos rostos e das mãos. Vou acabar chorando de novo de lembrar.

Muito bom! Mesmo que você tenha preconceitos quanto ao tema. Assista pelas pessoas: atores e personagens.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s